Papo reto por direitos: continuidade do projeto ECOAR JOVEM garante voz aos adolescentes de SP

Em formato de Rodas de Conversa, os direitos e deveres serão discutidos a partir das experiências dos adolescentes que vivem na região. As atividades de inclusão digital e participação cidadã permanecem



Diminuir a vulnerabilidade e estimular o exercício da cidadania é o que se espera alcançar com o Projeto Ecoar Jovem. Suas ações promovem os direitos das crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade por meio da inclusão digital, e do incentivo à participação cidadã em espaços de garantias de direitos.


E para garantir o esperado pelo Ecoar Jovem, o Grito assinou junto à Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (SNDCA) o Termo de Fomento 915601/2021, e vai dar continuidade ao projeto no ano que vem. Crianças e adolescentes que se encontram em situação de rua ou que vivem em ocupações serão atendidos por meio de oficinas, rodas de conversa, além da realização de atividades em espaços de convivência na região central de São Paulo.


O QUE VEM POR AÍ

A continuidade do Ecoar Jovem prevê a formação de 50 adolescentes nos cursos de inclusão digital e participação cidadã. Ao longo de 2022, serão realizadas oficinas presenciais na sede do Grito, com aulas de informática, internet, mídias sociais, além de conteúdos sobre cidadania, direitos e deveres, e Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Atividades em “Espaços de Convivência e Inclusão Social” deverão beneficiar 300 crianças e adolescentes, por meio de 12 encontros, previstos para acontecer em diversos espaços públicos e privados do centro de São Paulo. Acesso aos direitos, bem como aos serviços de atenção, disponibilizados na região, serão o foco dos encontros. O Incentivo à participação cidadã em espaços de garantia de direitos será estimulado por meio do “Papo Reto por Direitos”. Serão realizadas rodas de conversa com 24 adolescentes, que vão se encontrar semanalmente para compartilharem suas vivências e experiências no território em que vivem.


REALIDADE DO CENTRO

O último Censo da População em Situação de Rua identificou que o número de crianças e adolescentes em situação de rua saltou de 505 para 664 em 2019 - um aumento de 31%, em relação ao Censo anterior, realizado em 2015. A crise econômica, agravada pela pandemia, explica o aumento e também uma mudança no perfil: encontram-se nas ruas famílias inteiras, mães e crianças, em busca de abrigo e de alimento. Centenas de barracas disputam espaços e formam acampamentos nas ruas do centro.


Com relação às ocupações, levantamento realizado em 2018, pelo Grupo de Mediação de Conflito, da Secretaria Municipal de Habitação de São Paulo, estima que residam 3,3 mil famílias nos 53 edifícios ocupados no centro da capital.


O QUE JÁ ACONTECEU

O projeto Ecoar Jovem teve sua continuidade aprovada devido aos resultados previstos anteriormente e alcançados. Até o momento, a iniciativa proporcionou a atuação junto às redes de garantia e defesa de direitos na região central de São Paulo, por meio de Rodas de Conversa, e a formação 35 adolescentes, entre 12 e 17 anos, no curso de “Inclusão Digital e de Participação social”.


Além de estimular novas vocações e habilidades, o aprendizado sobre utilização da internet e de outros programas serviu para facilitar aos participantes o acesso aos seus direitos e deveres, aos canais de participação social e na busca de informações qualificadas. Atender as necessidades individuais, bem como encontrar a linguagem certa para se comunicar foram alguns dos desafios superados pelos educadores.


O Termo de Fomento foi possível devido ao encaminhamento da emenda pelo deputado federal Vicentinho. A assinatura do Termo reforça o comprometimento do Grito em transformar a realidade local, por meio de ações consecutivas, capazes de desenvolver uma cidadania participativa.